Síguenos en

ELEIÇÕES EUROPEIAS JUNHO 2024

A IUSTITIA EUROPE participará nas ELEIÇÕES EUROPEIAS de junho de 2024 porque

1.- O EUROPA está a ser utilizado como veículo por organizações internacionais como a ONU e outros organismos supranacionais para impor medidas coercivas aos cidadãos.

2.- No Parlamento Europeu, há uma montanha russa contínua entre os diferentes grupos políticos, onde a soberania dos Estados se perde em detrimento de uma falsa democracia.

3.- Todos os dias são aprovados na Europa regulamentos e directivas contra a água, a paisagem, a saúde, a perda de direitos, sob a falsa bandeira do desenvolvimento sustentável.

Porque é que chegou a hora dos cidadãos europeus?

A EUROPA PRECISA DE MOVIMENTOS DE CIDADÃOS QUE DEFENDAM OS POVOS EUROPEUS E SE DEFENDAM A SI PRÓPRIOS. Os políticos europeus encontram-se subjugados aos grupos parlamentares e à nova ordem mundial como fantoches absolutos das suas decisões. Chegou o momento de os cidadãos terem uma voz no Parlamento Europeu.

Porque é que a IUSTITIA EUROPE NÃO se apresenta como um partido político?

IUSTITIA EUROPE, será constituído como GRUPO DE ELEITORES aquando da convocação oficial das eleições europeias de 2024. Tem de ser sob esta fórmula cidadã, em que todos participamos na defesa dos nossos direitos humanos face à eurocracia e à burocracia que estamos a viver atualmente na União Europeia. Sob a égide da AGRUPACIÓN, todos nós, cidadãos, estamos temporariamente associados com o único objetivo de defender os nossos direitos mais elementares, UNIDOS POR UM PROPÓSITO COMUM. Além disso, a IUSTITIA EUROPE rejeitará a forma pública como forma de financiamento, que conduz à construção de partidos públicos e de estruturas de poder público.

Porque é que a IUSTITIA EUROPE não participa nos actuais movimentos políticos europeus?

IUSTITIA EUROPA é apartidária porque os partidos políticos actuais, e os seus governantes, são os que nos conduziram a uma Europa vendida à nova ordem mundial, sob a égide do novo direito humano do desenvolvimento sustentável, quando na realidade se trata de impor uma ordem que priva os indivíduos dos seus direitos humanos.

Porque é que a IUSTITIA EUROPE se candidata às eleições para o Parlamento Europeu de 2024?

Las mayores restricciones de derechos humanos vienen impulsadas desde la UE a través de los reglamentos europeos. Como os Regulamentos 953/2021 e 1034/2022, que impuseram na UE, durante dois anos, o CERTIFICADO DIGITAL COVID-19 da UE, que era o método de coagir a população a ser vacinada contra a covid-19. Da mesma forma, todos os dias são aprovadas leis que prejudicam direitos fundamentais, como a identidade digital, os certificados digitais, a inteligência artificial, a educação, a agricultura, a pecuária ou a pesca…

É cada vez mais evidente que a EUROPA é o veículo utilizado por organizações internacionais como a ONU, e outras organizações supranacionais, para impor medidas coercivas aos cidadãos, com uma contínua montanha russa no Parlamento Europeu entre os diferentes grupos políticos, onde a soberania dos Estados se perde em detrimento de uma falsa democracia.

Como funcionam as INSTITUIÇÕES da UE?

A COMISSÃO EUROPEIA

LOCAL: Bruxelas (Bélgica).

O que é que se passa? É o órgão executivo e legislativo da UE. É composto por 28 comissões (MINISTÉRIOS chefiados por MINISTROS), uma para cada país membro.

Em suma, elabora legislação e envia propostas ao Parlamento Europeu para aprovação e gere o orçamento da UE. Atual Presidente. Ursula Von der Leyen.

O PARLAMENTO EUROPEU

SEDE: Bruxelas (Bélgica) e Estrasburgo (França)

COMPOSIÇÃO: 751 deputados europeus dos 28 países membros. Inicialmente uma assembleia consultiva, é atualmente responsável pela votação de quase todas as leis propostas pela Comissão.

O Parlamento Europeu é o órgão legislativo da UE.

É eleito diretamente pelos eleitores da UE de cinco em cinco anos.

Competências: O Parlamento tem três funções principais:

a) Poderes legislativosLegislação da UE: Adopta legislação da UE, juntamente com o Conselho da União Europeia, com base em propostas da Comissão Europeia. Decide sobre os acordos internacionais. Decide sobre as ampliações. Analisa o programa de trabalho da Comissão e solicita-lhe que elabore propostas de legislação.

b) Poderes de controloO Parlamento Europeu: exerce um controlo democrático sobre todas as instituições da UE. Elege o Presidente da Comissão, aprova a Comissão enquanto colégio e pode aprovar uma moção de censura, obrigando a Comissão a demitir-se. Concede quitação, ou seja, aprova a forma como os orçamentos da UE foram gastos. Examina as petições dos cidadãos e efectua investigações. Discussão sobre política monetária com o Banco Central Europeu. Coloca questões à Comissão e ao Conselho. É responsável pela observação das eleições.

(c) Poderes orçamentais: Estabelece o orçamento da UE juntamente com o Conselho. Adopta o orçamento de longo prazo da UE (“quadro financeiro plurianual”). Composição: O número de deputados de cada país é aproximadamente proporcional à sua população, embora seja seguida uma proporcionalidade degressiva, o que significa que nenhum país pode ter menos de 6 e não mais de 96 deputados, e que o número total de deputados não pode exceder 705 (704 mais o Presidente). Os deputados do Parlamento Europeu estão agrupados por afinidade política e não por nacionalidade.

O Presidente representa o Parlamento perante as outras instituições da UE e a nível externo, e dá a aprovação final ao orçamento da UE. Como funciona: O trabalho do Parlamento é composto por duas fases principais:

Nas comissões: a legislação é preparada. O Parlamento tem 20 comissões e três subcomissões, cada uma das quais se ocupa de um domínio político específico. As comissões examinam as propostas legislativas e os deputados e os grupos políticos podem apresentar alterações ou propor a rejeição de um projeto de lei. Estas questões são também objeto de debate nos grupos políticos.

Nas sessões plenárias: a legislação é adoptada. A sessão plenária é o momento em que todos os deputados se reúnem no hemiciclo para a votação final das propostas de legislação e de alteração. Normalmente, realizam-se em Estrasburgo durante quatro dias por mês, mas por vezes há também sessões adicionais em Bruxelas.

O CONSELHO EUROPEU

Não tem poder executivo ou legislativo, mas aponta para a IDEIA POLÍTICA da UE. Instituição protocolar com um papel reduzido na UE.

O BANCO CENTRAL EUROPEU

Com sede em Frankfurt, define as orientações orçamentais para a zona euro.

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA

Com sede no Luxemburgo, o seu papel consiste em assegurar que todos os Estados cumprem as regras e a legislação da UE e em mediar os litígios entre os outros organismos.